[4] Quando um planejamento se torna real

31/03/2022

Por Eliza Granadeiro

Você está andando na rua e, de repente, encontra uma amiga, dessas pessoas muito queridas que, por um motivo ou outro, vocês não se veem tanto.

Entre beijos e abraços e alguns comentários gerais de atualização da vida, rola o seguinte papo:

 

Vamos marcar um barzinho pra colocar os assuntos em dia.

– Nossa, claro. Tanta coisa aconteceu que preciso te contar.

– Tu nem me fale, a vida deu tantas voltas com essa coisa de pandemia…

– É, foi muito puxado, né?

– Demais.

– Vamos marcar um dia.

– Vamos sim.

 

Esse encontro pode não sair nunca. Ou demorar muito pra acontecer.

E por quê? Temos aqui duas pessoas que se gostam, têm afinidades, querem se encontrar pra botar o papo em dia? Sem dúvida, temos. Mas, há uma enorme possibilidade de elas não se encontrarem em um futuro breve.

Podemos colocar a culpa na vida corrida que elas levam e que impede o encontro? Podemos.

Mas, na verdade verdadeira, a culpa do encontro não aconetcer é: falta alguém marcar uma data!!!

Sem uma data, um prazo, uma estimativa ligeira sequer, essa vontade de marcar um encontro vai continuar sendo só uma vontade, uma ideia, uma possibilidade.

Pode não parecer, mas essa cena cotidiana tem uma relação muito direta com o planejamento de carreira. Porque um planejamento só se torna real se existirem prazos para as coisas acontecerem.

Objetivos de carreira e metas profissionais precisam ter prazos pra serem colocados em prática. Se não existirem prazos, esses objetivos e metas são só algumas ideias soltas.

Uma coisa é você dizer que vai criar um novo projeto artístico (lançar um álbum, escrever um livro de crônicas, fazer uma websérie de animação).

Outra coisa é você dizer quando, em quanto tempo, ao longo de quantas semanas e meses vai fazer as ações e atingir as metas desse novo projeto artístico. Essa outra coisa aqui é muito diferente, muito mais real do que a primeira coisa.

Trocando em miúdos, não basta dizer que vai fazer.

É preciso definir quando vai fazer.

É a história do encontro das amigas: ele só terá chances reais de acontecer quando alguma data for marcada.

A mesma coisa vale pros seus objetivos e metas profissionais. Eles precisam de um marco temporal, de um prazo, de uma data.

Você pode definir:

  • um dia exato pra começar uma ação;
  • um período de um mês específico (como na segunda quinzena de maio);
  • um período maior como durante o terceiro trimestre;
  • ou ainda no início do segundo semestre.

O que importa é definir uma data pra começar a colocar em prática as ações que vão fazer você atingir alguma meta. É aí que seu planejamento se torna real.

Depois dessa definição, você tem um compromisso com você mesma. E todas as outras coisas da vida vão girar em torno disso. Faz sentido pra você?